Single Course

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliquaenim ad minim veniam

 Concordância nominal e verbal
Gratuito
Língua Portuguesa

Concordância nominal e verbal

Concordância Nominal e Verbal

 

Concordância nominal nada mais é que o ajuste que fazemos aos demais termos da oração para que concordem em gênero e número com o substantivo.

Teremos que alterar, portanto, o artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome.

Além disso, temos também o verbo, que se flexionará à sua maneira, merecendo um estudo separado de concordância verbal.

 

REGRA GERAL: O artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome, concordam em gênero e número com o substantivo.

 

- A pequena criança é uma gracinha.

- O garoto que encontrei era muito gentil e simpático.

 

CASOS ESPECIAIS: Veremos alguns casos que fogem à regra geral, mostrada acima.

 

a) Um adjetivo após vários substantivos

 

1 - Substantivos de mesmo gênero: adjetivo vai para o plural ou concorda com o substantivo mais próximo.

 

- Irmão e primo recém-chegado estiveram aqui.

 

- Irmão e primo recém-chegados estiveram aqui.

 

2 - Substantivos de gêneros diferentes: vai para o plural masculino ou concorda com o substantivo mais próximo.

 

- Ela tem pai e mãe louros.

 

- Ela tem pai e mãe loura.

 

3 - Adjetivo funciona como predicativo: vai obrigatoriamente para o plural.

 

- O homem e o menino estavam perdidos.

 

- O homem e sua esposa estiveram hospedados aqui.

 

b) Um adjetivo anteposto a vários substantivos

 

1 - Adjetivo anteposto normalmente: concorda com o mais próximo.

 

Comi delicioso almoço e sobremesa.
Provei deliciosa fruta e suco.

 

2 - Adjetivo anteposto funcionando como predicativo: concorda com o mais próximo ou vai para o plural.

 

Estavam feridos o pai e os filhos.

 

Estava ferido o pai e os filhos.

 

c) Um substantivo e mais de um adjetivo

 

1- antecede todos os adjetivos com um artigo.

 

Falava fluentemente a língua inglesa e a espanhola.

 

2- coloca o substantivo no plural.

 

Falava fluentemente as línguas inglesa e espanhola.

 

d) Pronomes de tratamento

 

1 - sempre concordam com a 3ª pessoa.

 

Vossa santidade esteve no Brasil.

 

e) Anexo, incluso, próprio, obrigado

 

1 - Concordam com o substantivo a que se referem.

 

As cartas estão anexas.

 

A bebida está inclusa.

 

Precisamos de nomes próprios.

 

Obrigado, disse o rapaz.

 

f) Um(a) e outro(a), num(a) e noutro(a)

 

1 - Após essas expressões o substantivo fica sempre no singular e o adjetivo no plural.

 

Renato advogou um e outro caso fáceis.

 

Pusemos numa e noutra bandeja rasas o peixe.

 

g) É bom, é necessário, é proibido

 

1- Essas expressões não variam se o sujeito não vier precedido de artigo ou outro determinante.

 

Canja é bom. / A canja é boa.

 

É necessário sua presença. / É necessária a sua presença.
É proibido entrada de pessoas não autorizadas. / A entrada é proibida.

 

h) Muito, pouco, caro

 

1- Como adjetivos: seguem a regra geral.

 

Comi muitas frutas durante a viagem.

 

Pouco arroz é suficiente para mim.

 

Os sapatos estavam caros.

 

2- Como advérbios: são invariáveis.

 

Comi muito durante a viagem.

 

Pouco lutei, por isso perdi a batalha.

 

Comprei caro os sapatos.

 

i) Mesmo, bastante

 

1- Como advérbios: invariáveis

 

Preciso mesmo da sua ajuda.

 

Fiquei bastante contente com a proposta de emprego.

 

2- Como pronomes: seguem a regra geral.

 

Seus argumentos foram bastantes para me convencer.
Os mesmos argumentos que eu usei, você copiou.

 

j) Menos, alerta

 

1- Em todas as ocasiões são invariáveis.

 

Preciso de menos comida para perder peso.

 

Estamos alerta para com suas chamadas.

 

k) Tal Qual

 

1- “Tal” concorda com o antecedente, “qual” concorda com o conseqüente.

 

As garotas são vaidosas tais qual a tia.

 

Os pais vieram fantasiados tais quais os filhos.

 

l) Possível

 

1- Quando vem acompanhado de “mais”, “menos”, “melhor” ou “pior”, acompanha o artigo que precede as expressões.

 

A mais possível das alternativas é a que você expôs.

 

Os melhores cargos possíveis estão neste setor da empresa.
As piores situações possíveis são encontradas nas favelas da cidade.

 

m) Meio

 

1- Como advérbio: invariável.

 

Estou meio insegura.

 

2- Como numeral: segue a regra geral.

 

Comi meia laranja pela manhã.

 

n)

 

1- apenas, somente (advérbio): invariável.

 

Só consegui comprar uma passagem.

 

2- sozinho (adjetivo): variável.

 

Estiveram sós durante horas.

 

Concordância verbal

 

SUJEITO CONSTITUÍDO PELOS PRONOMES QUE & QUEM

 

QUE: se o sujeito for o pronome relativo que, o verbo concorda com o antecedente do pronome relativo.

 

- Fui eu que falei. (eu falei)

 

- Fomos nós que falamos. (nós falamos)

 

QUEM: se o sujeito for o pronome relativo quem, o verbo ficará na terceira pessoa do singular ou concordará com o antecedente do pronome (pouco usado).

 

- Fui eu quem falou. (ele (3ª pessoa) falou)

 

Obs: nas expressões “um dos que”, “uma das que”, o verbo deve ir para o plural. Porém, alguns estudiosos e escritores aceitam ou usam a concordância no singular.

 

- João foi um dos que saíram.

 

PRONOME DE TRATAMENTO
O verbo fica sempre na 3ª pessoa (ele - eles).

 

- Vossa Alteza deve viajar.

 

- Vossas Altezas devem viajar.

 

DAR – BATER – SOAR (indicando horas)

 

Quando houver sujeito (relógio, sino) os verbos concordam normalmente com ele.

 

- O relógio deu onze horas.

 

- O Relógio: sujeito

 

Deu: concorda com o sujeito.

 

Quando não houver sujeito, o verbo concorda com as horas que passam a ser o sujeito da oração.

 

- Deram onze horas.

 

- Deram três horas no meu relógio.

 

SUJEITO COLETIVO (SUJEITO SIMPLES)

 

- O cardum- e escapou da rede.

 

- Os cardumes escaparam da rede.

 

Nesses dois exemplos o verbo concordou com o coletivo (sujeito simples).

 

Quando o sujeito é formado de um coletivo singular seguido de complemento no plural, admitem-se duas concordâncias:

 

1ª) verbo no singular.

 

- O bando de passarinhos cantava no jardim.
- Um grupo de professores acompanhou os estudantes.

 

2ª) o verbo pode ficar no plural, nesse caso o verbo no plural dará ênfase ao complemento.

 

- O bando de passarinhos cantavam no jardim.
- Um grupo de professores acompanharam os estudantes

 

SE
Verbos transitivos diretos e verbos transitivos diretos e indiretos + - se:

 

Se o termo que recebe a ação estiver no plural, o verbo deve ir para o plural, se estiver no singular, o verbo deve ir para o singular.

 

- Alugam-se cavalos.

 

“Alugar” é verbo transitivo direto.

 

“Cavalos” recebe a ação e está no plural, logo o verbo vai para o plural.

 

Aqui o “se” é chamado de partícula apassivadora (Cavalos são alugados).

 

Outros exemplos:

 

- Vendem-se casas.

 

- Alugam-se apartamentos.

 

- Exigem-se referências.

 

- Consertam-se pianos.

 

- Plastificam-se documentos.

 

- Entregou-se uma flor à mulher. (verbo transitivo direto e indireto)

 

OBS: Somente os verbos transitivos diretos têm voz passiva.

 

Qualquer outro tipo de verbo (transitivo indireto ou intransitivo) fica no singular.

 

- Precisa-se de professores. (Precisar é verbo transitivo indireto)
- Trabalha-se muito aqui. (trabalhar é verbo intransitivo)

 

Nesse caso, o “se” é chamado de índice de indeterminação do sujeito ou partícula indeterminadora do sujeito.

 

HAVER – FAZER

 

"Haver" no sentido de “existir”, indicando “tempo” ou no sentido de “ocorrer” ficará na terceira pessoa do singular. É impessoal, ou seja, não admite sujeito.

 

"Fazer" quando indica “tempo” ou “fenômenos da natureza”, também é impessoal e deverá ficar na terceira pessoa do singular.

 

- Nesta sala há bons e maus alunos. (= existe)

 

- Já houve muitos acidentes aqui. (= ocorrer)

 

- Faz 10 anos que me formei. (= tempo decorrido)

 

SUJEITO COMPOSTO RESUMIDO POR UM INDEFINIDO
O verbo concordará com o indefinido.

 

- Tudo, jornais, revistas, TV, só trazia boas noticias.

 

- Ninguém, amigos, primos, irmãos veio visitá-lo.
- Amigos, irmãos, primos, todos foram viajar.

 

PESSOAS DIFERENTES

 

O verbo flexiona-se no plural na pessoa que prevalece (a 1ª sobre a 2ª e a 2ª sobre a 3ª).

 

Eu e tu: nós

 

Eu e você: nós

 

Ela e eu: nós

 

Tu e ele: vós

 

- Eu, tu e ele resolvemos o mistério. (1ª pessoa prevalece)

 

- O diretor, tu e eu saímos apressados. (1ª pessoa prevalece)

 

- O professor e eu fomos à reunião. (1ª pessoa prevalece)

 

- Tu e ele deveis fazer a tarefa. (2ª pessoa prevalece)

 

Obs: como a 2ª pessoa do plural (vós) é muito pouco usado na língua contemporânea , é preferível usar a 3ª pessoa quando ocorre a 2ª com a 3ª.

 

- Tu e ele riam à beça.

 

- Em que língua tu e ele falavam?

 

Podemos também substituir o “tu” por “você”.

 

- Você e ele: vocês

 

NOMES PRÓPRIOS NO PLURAL

 

Se o nome vier antecedido de artigo no plural, o verbo deverá concordar no plural.

 

- Os Andes ficam na América do Sul.

 

Se não houver artigo no plural, o verbo deverá concordar no singular.

 

- Santos fica em São Paulo.

 

- “Memórias Póstumas de Brás Cubas” consagrou Machado de Assis.

 

Obs 1: Com nome de obras artísticas, admite-se a concordância ideológica com a palavra “obra”, que está implícita na frase.

 

- “Os Lusíadas” imortalizou Camões.

 

Obs 2: Com o verbo “ser” e o predicativo no singular, o verbo fica no singular.

 

“Os Lusíadas” é a maior obra da Literatura Portuguesa.

 

- Os EUA já foi o primeiro mercado consumidor.

 

SER

 

O verbo “ser” concordará com o predicativo quando o sujeito for o pronome interrogativo “que” ou “quem”.

 

- Quem são os eleitos?

 

- Que seriam aqueles ruídos estranhos?

 

- Que são dois meses?

 

- Que são células?

 

- Quem foram os responsáveis?

 

Quando o verbo “ser” indicar tempo, data, dias ou distância, deve concordar com a apalavra seguinte.

 

- É uma hora.

 

- São duas horas.

 

- São nove e quinze da noite.

 

- É um minuto para as três.

 

- Já são dez para uma.

 

- Da praia até a nossa casa, são cinco minutos.

 

- Hoje é ou são 14 de julho?

 

Em relação às datas, quando a palavra “dia” não está expressa, a concordância é facultativa.

 

Se um dos elementos (sujeito ou predicativo) for pronome pessoal, o verbo concordará com ele.

 

- Eu sou o chefe.

 

- Nós somos os responsáveis.

 

- Eu sou a diretora.

 

Quando o sujeito é um dos pronomes isto, isso, aquilo, o, tudo, o verbo “ser” concordará com o predicativo.

 

- Tudo são flores.

 

- Isso são lembranças de viagens.

 

Pode ocorrer também o verbo no singular concordando com o pronome (raro).

 

- Tudo é flores.

 

Quando o verbo “ser” aparece nas expressões “é muito”, “é bastante”, “é pouco”, “é suficiente” denotando quantidade, distância, peso, etc ele ficará no singular.

 

- Oitocentos reais é muito.

 

- Cinco quilos é suficiente.

 

15- Assinale a opção redigida de acordo com o padrão escrito formal da língua portuguesa.


(Baseado em: http://www.receita.fazenda.gov.br/manuaisweb/exportacao/topicos/conferencia-aduaneira/desembaraco/Aspectos-Gerais.htm)


a) No caso de sair do País, mercadoria não desembaraçada, os responsáveis se sujeitarão a a aplicação de sanções fiscais e administrativas.


b) Em caso de saída do País de mercadoria não desembaraçada, os responsáveis sujeitar-se-ão à
aplicação de sanções fiscais e administrativas.


c) Caso saia do País mercadoria não desembaraçada, caberá aos responsáveis sujeitasse à aplicação de sanções fiscais e administrativas.


d) Se mercadoria não desembaraçada sair do País, quem seja os responsáveis serão sujeitados a aplicação de sanções fiscais e administrativas.


e) Acaso saia do País mercadoria não desembaraçada, os responsáveis sujeitar-se-ão à aplicação de sanções fiscais e administrativas.

 

20- O texto abaixo foi transcrito com inserção de erros gramaticais. As opções trazem recomendação para corrigir tais erros, exceto uma. Assinale-a.


O despacho aduaneiro têm (a) por finalidade verificar a exatidão dos dados declarados pelo exportador ou importador em relação a (b) mercadoria exportada ou importada, os (c) documentos apresentados e à legislação vigente, com vistas o (d) desembaraço. Em virtude do
desembaraço é autorizado (e) a saída da mercadoria para o exterior, no caso de exportação, ou a entrega da mercadoria ao importador, no caso de importação.


(http://www.receita.fazenda.gov.br/aduana/procaduexpimp/ DespAduSimplifi c.htm)
a) A forma verbal “têm” deve ser escrita sem acento.


b) Este “a” deve ter o acento grave indicador de crase.


c) O “os” deve ser substituído por “dos”.


d) Esta expressão correta deve ser reescrita assim: com vistas ao.


e) Este termo deve passar para o feminino, assim:autorizada.

Sobre a Comexleis

Somos especializado em Ensino a distância de Comércio Exterior

  • dummy(51) 3062-0113

  • dummy(51) 3062-0113

  • dummy comexleis@comexleis.com.br

Newsletter

Receba nossas dicas e atualizações

Search